Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 21/10/2012

Derrota de Castelo será o primeiro passo para o fim da oligarquia Sarney

Não tenho o dom da adivinhação e, também graças à imprevisibilidade da política, não posso afirmar com absoluta certeza o resultado de uma eleição que ocorrerá apenas daqui a uma semana.

À parte isso, inúmeros indicadores apontam a derrota de João Castelo (PSDB) – entulho da ditadura ainda vagando pela vida política brasileira – na sua tentativa de reeleição à prefeitura de São Luís (MA).

A péssima avaliação do governo “Caostelo” e a alta rejeição do tucano, próxima a 40%, segundo vários institutos; o próprio resultado do 1º turno (na véspera da eleição o Ibope cravou 36% para Castelo e 31% para Holanda, mas as urnas revelaram justamente o inverso) e a ampla adesão ao candidato do PTC por parte de vereadores eleitos e de lideranças partidárias que apoiaram outros nomes na primeira etapa da disputa, entre outros fatores, sugerem a veracidade das pesquisas que dão Edivaldo Holanda Jr. como o vencedor da eleição do próximo domingo (28).

Caso o triunfo se confirme, este significará uma tripla vitória do campo liderado pelo ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB): sobre os tucanos, sobre a família Sarney (que age na surdina para impedir o fracasso de Castelo) e sobre a parte do PT maranhense que foi subjugada à oligarquia mais longeva do País.

Dino e Holanda: parceria que pode iniciar a derrocada da oligarquia Sarney (Foto: divulgação)

Para o grupo de Dino, conquistar a prefeitura da capital, que concentra cerca de 15% do eleitorado e 40% da riqueza do estado, é uma tarefa fundamental rumo à disputa de 2014.

Daqui a dois anos, o único nome viável da oligarquia para suceder Roseana Sarney será o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB), que enfrentará a campanha com 77 anos.

Caso o clã Sarney aplique uma rasteira em Lobão e opte por construir outra via, a batalha fratricida – provavelmente entre os super-secretários Ricardo Murad e Luís Fernando Silva – será deflagrada no seio do grupo e a derrota dificilmente será evitada.

O futuro êxito eleitoral da oposição de esquerda (ainda que certos elementos conservadores/fisiológicos componham a coalizão) costurada por Flávio Dino, entretanto, além da  aposentadoria forçada de Castelo, dependerá de uma grande administração de Edivaldo Holanda Jr., obra que não será fácil, após quatro terríveis anos do PSDB à frente da prefeitura, que agravaram ainda mais os sérios problemas estruturais da cidade.

Vale lembrar que, após o fim da ditadura, em 1985, a população de São Luís jamais experimentou uma grande gestão municipal. Jackson Lago conseguiu ter dois governos (1989-1992 e 1997-2000) relativamente bons, mas jamais uma gestão que pudesse ser considerada excelente.

Além destes dois desafios – a vitória no 2º turno e uma grande administração – na capital, Flávio Dino e seus aliados terão ainda que demonstrar fôlego e competência para outra ação vital: articular os atores políticos do interior do estado e a chamada “sociedade civil organizada” de esquerda e/ou anti-oligárquica, hoje bastante fragmentada com o deslocamento do PT para o campo do “El Bigodón” e com a passagem de Jackson Lago e a desestruturação do PDT, historicamente de larga capilaridade nas grandes cidades e na periferia de São Luís.

De qualquer modo, no domingo vindouro poderá ter início a transformação do cenário político maranhense das próximas décadas.

Fim dos tempos turvos para São Luís e o Maranhão? (Foto: Rogério Tomaz Jr,)


Responses

  1. Prezado Tomaz,
    Tenho fé que verei o fim do esquema Sarney antes da minha morte. Esquema esse que não se restringe apenas ao Maranhão, o seu poder, domina o legislativo brasileiro e boa parte do judiciário. Poucos são os que não lhes devem favores, a maioria dos políticos estão em suas mãos.
    Tomaz, espero que não estejas equivocado na avaliação que faz, sobre as eleições para prefeito de São Luís. As alianças feitas por Edvaldo jr, não merecem credibilidade, são aves de rapina que ao longo do tempo sugam o Maranhão. O próprio pai do candidato já esteve em todos os palanques eleitorais, é cria desse sistema dominante, merece credibilidade?
    Com Castelo ou Edvaldo na prefeitura, Flávio Dino é a única chance de
    acabarmos com essa chaga cancerosa que domina e espolia o nosso Estado.

    Edgelson Lemos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: