Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 18/04/2012

Revista da Abril frauda concurso nacional de design

A revista Casa Cláudia, da Editora Abril, promoveu recentemente o concurso “Skitsch + Casa Cláudia”, destinado a premiar projetos de design para móveis, objetos e luminárias.

A italiana Skitsch é a empresa patrocinadora do concurso, cujo resultado final foi divulgado no dia 2 de abril.

Recebi a denúncia de uma estudante da Universidade de Brasília (UnB) que participou do concurso, ficou entre os projetos finalistas, mas identificou o desrespeito, por parte da organização do concurso, ao regulamento do mesmo.

Conforme denuncia a estudante, o projeto vencedor e um dos dois destaques também premiados deveriam ter sido desclassificados por não cumprirem o que determina o regulamento. A penalidade de desclassificação é prevista no próprio regulamento e não paira qualquer dúvida quanto à sua necessária aplicação nos casos descritos adiante.

O vencedor do concurso identificou o seu trabalho, não com seu nome, mas com o nome da empresa que realizou o projeto, ato que é expressamente vedado pelas normas do certame. E o autor de um dos destaques premiados enviou ao todo seis pranchas (modelos) para o concurso, quando o limite definido era de três.

Como é possível ver nos e-mails, a organização do concurso ignorou arbritrariamente as regras do concurso e manteve os projetos irregulares. O nome disso é fraude. Ou falcatrua, no popular.

Revista da Abril (não foi a Veja) frauda concurso de design

Através de troca de e-mails que reproduzo abaixo, fica patente não apenas a violação do regulamento na escolha dos vencedores, mas um completo desdém em relação aos questionamentos feitos pela estudante que identificou as irregularidades e se sentiu prejudicada.

O nome da estudante – e de sua colega de projeto – está omitido nas mensagens abaixo para evitar qualquer exposição desnecessária. Sua atitude de questionar – ou “afrontar”, como diriam bajuladores ou porta vozes do deus mercado – a Casa Cláudia é digna e louvável, marca de quem não se cala diante de injustiças que sofre ou testemunha.

“Sei que posso até ser prejudicada, caso venha a acontecer um novo julgamento, por levantar esses pontos. Mas não poderia deixar de mencionar tamanha injustiça”, disse a estudante na troca de e-mails abaixo.

À revista Casa Cláudia, o espaço neste blog está aberto a qualquer informação que vise retificar, explicar ou justificar o que afirmo e reitero: houve FRAUDE no concurso “Skitsch + Casa Cláudia” e as provas seguem abaixo.

À empresa Skitsch, que lamentável ver que uma pessoa ligada a seus colaboradores venceu um concurso que ela patrocina. Será que a matriz em Milão está ciente dessa falcatrua? [retificação: o vencedor não é vinculado à Skitsch, mas reitero a pergunta: será que a empresa sabe da fraude do concurso?]

O Ministério Público Federal – a quem vou encaminhar esta denúncia – terá um bom caso para analisar o modus operandi deste tipo de concurso, tão comum em várias áreas do mercado. Pelo menos 264 pessoas, de diversos estados do Brasil foram prejudicadas pela fraude do concurso “Skitsch + Casa Cláudia”.

Num momento em que a principal publicação da Editora Abril, o semanário Veja, é denunciada como parte de um esquema criminoso comandado por Carlinhos Cachoeira, é  curioso que outra revista da empresa da família Civita seja flagrada no cometimento de uma fraude.

Será que os colunistas da Veja, que tanto divulgaram e insuflaram as “marchas contra a corrupção”, vão divulgar esse caso?

Segue a correspondência entre a denunciante e a organização do concurso.

PS: Todas as telas do site do concurso (resultado, regulamento, apresentação etc.) estão devidamente gravadas.

*****

Prezados,

Sou estudante de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (UnB) e participei do Concurso de Design SKITSCH+CASA CLAUDIA.

Em parceria com a também estudante de arquitetura da UnB, ******, realizei o projeto da cadeira Yamí.

Nossa cadeira foi classificada para a fase final do concurso – na qual foram selecionados apenas 14 projetos de um total de 266 inscritos.

Conforme consta no seguinte link: http://abr-casa.com.br/skitsch/participe.shtml

No entanto, constatei uma série de GRAVES irregularidades ao longo da realização do concurso – que culminaram no desastroso e ilegal resultado final.

Resumidamente temos a seguinte situação: dentre os três premiados (ganhador+02 destaques) o projeto vencedor (produto: cadeira dozequinze) e um dos premiados (produto: fruteira hullboo) deveriam ter sido desclassificados antes mesmo da fase final, por desrespeitarem o edital, e não foram.

No caso do vencedor o caso é bem mais grave, pois houve uma clara identificação da autoria do trabalho (negada pelo coordenador do evento Christian Ullmann) na prancha nº1 do projeto – PROVAS EM ANEXO [ao final do post]. Ademais, neste caso é apenas uma suposição e/ou “coincidência”, o vencedor Francesco Sillitti já trabalhou com os irmãos Campana – que são designers da empresa Skitsch (uma das organizadoras do evento).

Abaixo consta um histórico completo dos emails que troquei com a coordenação do evento.

Gostaria de saber se existe a possibilidade dessa minha denúncia ser divulgada e apurada conforme os rigores da lei!

Nenhuma providencia foi tomada até o presente momento! Como o prêmio é o direito de expor o produto projetado na Feira Internacional de Milão, que acontece no dia 17 de abril, temos pouco prazo para reverter essa injustiça.

Qualquer informação adicional basta entrar em contato!

*****

Obrigada!


1. RECEBO O RESULTADO FINAL DO CONCURSO SKITSCH+CASA CLAUDIA 

Em 2 de abril de 2012 20:58, Christian <oficinanomade@uol.com.br> escreveu:

Prêmio CulturalSKITSCH + Casa Cláudia

c o n c e p t   d e s i g n   B r i T   a w a r d 

Caros participantes do Prêmio,

é com grande alegria e satisfação que comunico para voces o projeto ganhador e 2 projetos destaque

Projeto Ganhador

inscr. Nº 55
Projeto. Poltrona DozeQuinze
design. Francesco Sillitti
Sao Paulo – SP

Projetos Destaque

inscr. Nº 37
Projeto. Fruteira Hullboo
design. Fabio Marins Vivacqua Ruschi
Espírito Santo – ES

inscr. Nº 61
Projeto. Luminária Nas Coxas
design. Andres Zambra
São Paulo – SP

mais uma vez muito obrigado pela participação

christian ullmann

coordenador do prêmio

2. ALGUNS MINUTOS DEPOIS ESCREVI O SEGUINTE EMAIL PARA O SR. CHRISTIAN E PARA ALGUNS FINALISTAS QUE ENCONTREI O CONTATO:

Caro Christian e demais finalistas,

Primeiramente gostaria de dizer que foi muito válido participar do concurso, pois pude aprimorar bastante meus conhecimentos referentes ao campo do design. Foi, sem dúvida, uma experiência incrível!

No entanto, gostaria de fazer algumas ressalvas e tirar algumas dúvidas, a saber:

1. Dois dos projetos premiados desrespeitam o que consta no edital. Vejamos:

“5.4 O participante deverá preencher o formulário e anexar um arquivo de até 3 (três) pranchas em formato PDF do respectivo projeto.”

A FRUTEIRA HULLBOO TEM NO TOTAL 06 PRANCHAS E NÃO 03

“5.8 Cada arquivo deve ser identificado com o nome do projeto. No conteúdo dos projetos não podem ser identificados os nomes dos participantes.”

A PRIMEIRA PRANCHA DA CADEIRA DOZEQUINZE, EMBORA NÃO TENHA O NOME DO AUTOR, TEM UMA CLARA IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA DE DESIGN QUE REALIZOU O PROJETO. FOI USADO O NOME DA JÁ MENCIONADA EMPRESA NO TÍTULO DA CADEIRA E SEU RESPECTIVO ENDEREÇO CONSTA NA PRANCHA.

2. Portanto, como consequência as subseções 5.9 e 10.2 foram desrespeitadas pela própria comissão julgadora.

“5.9 As inscrições em desacordo com este regulamento ou enviadas fora do prazo estabelecido serão desclassificadas

“10.2 Todos os participantes do prêmio devem conhecer os termos deste regulamento e se obrigam a respeitá-lo naquilo que lhes for aplicável.”

3. Por fim, vale mencionar que a fruteira Hullboo apesar de não estar sendo comercializada não é um produto inédito (item 2.2). Conforme podemos conferir nos seguintes links: http://www.ucl.br/info.cfm?Codinfo=846 – http://www.ucl.br/info.cfm?Codinfo=846.

Com isso, quero deixar claro, que não se trata de simplesmente se opor ao resultado final. Muito pelo contrário, a cadeira DozeQuinze foi um dos melhores projetos que vi.

No entanto, apenas acho injusto premiar projetos em desacordo com o edital. Já que eu e minha parceira, assim os demais participantes, cumprimos rigorosamente o edital.

4. No seu último email o sr. mencionou que os finalistas não estariam na revista Casa Claudia, mas lembro que isso já era previsto no edital. Desde o começo sabíamos que somente os tres primeiros lugares seriam publicados. Veja:

“8.3 Os 03 (três) projetos finalistas serão publicados na revista CASA CLAUDIA”

5. Ademais, gostaria de saber como será o procedimento para a exposição na Skitsch-São Paulo (prazos, preparativos, obrigações, etc). Afinal, conforme consta no edital todos os finalistas irão expor.

8.4 Os projetos finalistas e o protótipo premiado farão parte da exposição na flagship store Skitsch Brasil, sendo expostos na forma do cronograma acima.

Aguardo por um posicionamento.

Como se trata de um concurso promovido por grandes e respeitados nomes do ramo do design não poderia deixar de fazer essas considerações.

Obrigada!

3. O RESULTADO FINAL FOI ENTÃO PUBLICADO OFICIALMENTE NO SITE E MINHAS QUESTÕES NÃO FORAM RESPONDIDAS!


4. COMO NÃO OBTIVE RESPOSTAS MANDEI O SEGUINTE EMAIL PARA OS RESPONSÁVEIS DA REVISTA CASA CLAUDIA


A/C DOS RESPONSÁVEIS PELA REVISTA CASA CLAUDIA

Prezados,

Sou estudante de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (UnB) e participei do Concurso de Design SKITSCH+CASA CLAUDIA.

Em parceria com a também estudante de arquitetura da UnB, *****, realizei o projeto da cadeira Yamí. Sendo que, esta foi classificada para a fase final do concurso.

Nesse sentido, venho por meio deste email relatar irregularidades que ocorreram na premiação desse concurso e que não foram justificadas pela coordenação do mesmo até o presente momento*, a saber:

*Apesar do resultado já ter sido divulgado no site.

1. Dois dos projetos premiados claramente desrespeitam o que consta no Regulamento do concurso. Vejamos:

Segundo o edital: “5.4 O participante deverá preencher o formulário e anexar um arquivo de até 3 (três) pranchas em formato PDF do respectivo projeto.”  No entanto, o projeto da Fruteira Hullboo tem 06 pranchas e não 03.

Segundo o edital: “5.8 Cada arquivo deve ser identificado com o nome do projeto. No conteúdo dos projetos não podem ser identificados os nomes dos participantes.”

Entretanto, a primeira prancha da cadeira DozeQuinze (produto ganhador do concurso), apesar de não conter o nome do autor, tem uma clara identificação de autoria.

A logo marca da empresa  DozeQuinze vinculada ao designer Francesco, autor da cadeira, está estampada na referida prancha. (VIDE EM ANEXO O COMPARATIVO DA LOGOMARCA E DA PRANCHA)

Ademais, a fruteira Hullboo apesar de não estar sendo comercializada não é um produto inédito e já integrou outros concursos. Conforme podemos conferir nos seguintes links: http://www.ucl.br/info.cfm?Codinfo=846 – http://www.ucl.br/info.cfm?Codinfo=846.

2. Dessa maneira, podemos constatar que a própria comissão julgadora, composta por membros da organização, ignorou o que foi estabelecido previamente no edital, sobretudo no que tange os itens 5.9 e 10.2.

“5.9 As inscrições em desacordo com este regulamento ou enviadas fora do prazo estabelecido serão desclassificadas

“10.2 Todos os participantes do prêmio devem conhecer os termos deste regulamento e se obrigam a respeitá-lo naquilo que lhes for aplicável.”

A revista Casa Claudia sempre foi para mim sinônimo de seriedade e  representatividade no campo do design e decoração. E não consigo entender como projetos irregulares puderam ser classificados, e pior, premiados.

Todos os demais finalistas seguiram o regulamento, assim o resultado do concurso Skitsch+Casa Claudia é totalmente inaceitável.

Não só os finalistas lamentam, mas todos os amigos e familiares que acompanharam o processo desse grande concurso – que apesar de genial e pautado na credibilidade da editora Abril, teve um lamentável desfecho.

Sei que posso até ser prejudicada, caso venha a acontecer um novo julgamento, por levantar esses pontos. Mas não poderia deixar de mencionar tamanha injustiça.

Como se trata de um concurso promovido por grandes e respeitados nomes do ramo do design não poderia deixar de fazer essas considerações.

Aguardo um posicionamento.

Att.,

*****

5. SOMENTE APÓS ENVIAR EMAILS PARA OS RESPONSÁVEIS DA CASA CLAUDIA É QUE RECEBI UMA RESPOSTA DO SENHOR CHRISTIAN:

Cara *****
recebi seus dois emails
e entendí seu ponto de vista
agora vou responder como foi realizada a fase de julgamento do premio
vou enviar para voce um email que respondi para outro participante:

Iniciar mensagem reenviada:

De: Christian <oficinanomade@uol.com.br>
Data: March 29, 2012 11:27:29 PM GMT-03:00
Para: thiago torres <arqthiagotorres@gmail.com>
Cc: Design A Lot of <design@alotof.com.br>
Assunto: Re: elecionados Prêmio Concept Design BriT Award

Caro Thiago

para fazer a avaliação dos projetos so apresentamos 3 pranchas de cada participante
foram vários os que tinham mais de 3 ou menos de 3 pranchas e outros passaram dos 2Mb
consultamos isto com o comitê de julgamento e de comum acordo padronizamos as apresentações a 3 pranchas
– para os que tinham menos solicitamos mais informação e para os que tinham mais tiramos as excedentes –
para a divulgação dos projetos subimos no link os projetos completos
sendo assim nao consideramos que seja necessária nenhuma providencia para todos os participantes que nao conseguiram cumprir 100% com sua inscrição
tomara tenha esclarecido sua duvida
grande abraço
christian
***** gostei voce pesquisou melhor que nossa equipe

vamos chamar voce para o próximo concurso
uma auto reflexão e critica para o projeto é que voces jovens designers pensam e agem muito rápido e um prêmio convencional nao consegue acompanhar voces
por isso a motivação de criar o projeto
pois eu nao vejo em outros prêmios os projetos selecionados no nosso premio
e acreditamos que tem interessados e espaço para este tipo de projetos
porem a tecnologia da informação abre inúmeras portas e todos voces querem tirar proveito
por exemplo o que voce considera uma marca ramalho 1215 sao paulo sp
é o endereço onde foi realizado o projeto da poltrona
eu nao considero isso uma marca e sim um nome o titulo de projeto, que algum designer fez e publicou isto na internet – provavelmente para ter um maior portfolio de trabalhos
No inicio ficamos chateados pelo rígido do nosso regulamento e as inscrições que estávamos recebendo
as decisões sempre sao subjetivas e optamos pela maior diversidade possível e quantidade de inscritos, acredito que nao nos equivocamos
vejo por seu email – que isto, incomodou muito voce – e por isto peço desculpas
hoje tambem vemos que chegar ate aqui – na fase de projetos é pouco
pois nao conseguimos ajudar muito e o material selecionado é muito bom
por isso ja estamos negociando para poder continuar o projeto e conseguir uma mostra no so de projeto e sim de produtos
– porem isto por enquanto é uma ideia um projeto –
o que esta confirmado é a exposicao de projetos dos selecioandos na Skitsch Brasil
isto vai ser conversdado a partir de maio/junho
A cidade de Sao PAulo tem algumas novidades referente a eventos de design para o inicio do segundo semestre – porem nao estao confirmadas
e nos queremos aproveitar e fazer a mostra num periodo com maior visibilidade possivel
bom isso por enquanto
com mais duvidas ou comentarios pode enviar um email
muito obrigado
um beijo
christian

6. COMO VOCÊS PODEM VER NENHUMA DAS PROBLEMÁTICAS LEVANTADAS POR MIM FORAM JUSTIFICADAS LEGALMENTE E, MUITO MENOS, HOUVE UM INTERESSE EM REVER OS ERROS COMETIDOS. ENTÃO RESPONDI COM O SEGUINTE EMAIL:

Caro Christian e representantes da Casa Claudia,

Antes de mais nada gostaria de agradecer por você ter respondido, mesmo que depois de ter publicado o resultado no site.

No entanto, quero ressaltar, mais uma vez,  que não se trata de gostar ou não gostar do resultado, me incomodar ou não. NÃO É ESSA A QUESTÃO, É ALGO MAIS SÉRIO.

Estou questionando uma atitude INCORRETA do ponto de vista JURÍDICO E LEGAL. O regulamento foi desrespeitado e isso não existe!É imoral!

Tenho experiência em outros concursos e nunca vi nada parecido. É inaceitável tamanho descumprimento das regras.

Primeiramente, ao afirmar que eu, uma mera estudante, pesquisei mais que a sua equipe o sr. assume que houveram falhas quanto à organização e direcionamento do concurso.

Segundo, se a comissão achou o edital muito rígido deveria ter corrigido antes do lançamento do concurso, ou ter realizado uma retificação pública. É uma questão de lógica e uma prática recorrente quando se trata de um concurso.

Terceiro, quanto ao número de pranchas o edital é claro, poderiam ser utilizadas ATÉ três pranchas.

“5.4 O participante deverá preencher o formulário e anexar um arquivo de até 3 (três) pranchas em formato PDF do respectivo projeto.”

Dessa forma, usar menos de 03 pranchas foi uma opção do autor.

Basta ver gramaticalmente o uso do termo “até”.

Não existe isso de pedir mais informações para o autor, pois, na verdade, ele optou por usar menos pranchas.

Já os que usaram mais de 03 pranchas (como no caso do projeto destaque Fruteira Hullboo) deveriam ser imediatamente eliminados conforme consta no próprio edital:

“5.9 As inscrições em desacordo com este regulamento ou enviadas fora do prazo estabelecido serão desclassificadas

Quarto, não coloquei em dúvida se aquele endereço e o título eram uma logo. EU AFIRMEI ISSO E MOSTREI A FONTE. No link fica claro que se trata de uma logomarca feita pela Stefania Grippaldi para o designer Francesco Sillitti (SEGUE EM ANEXO UM JPG DO SITE/PORTFÓLIO DA STEFANIA). Olhe com cuidado o material que enviei. Todos os jornalistas e advogados que analisaram o material que tenho em mãos conseguiram perceber que se trata de uma logomarca diretamente vinculada com o autor da cadeira DozeQuinze.  Temos assim uma clara identificação de autoria – O QUE AFETA DIRETAMENTE A LISURA DO CERTAME.

“5.8 Cada arquivo deve ser identificado com o nome do projeto. No conteúdo dos projetos não podem ser identificados os nomes dos participantes.” Diz o regulamento.

Não posso provar que houve favorecimento, NEM VOCÊS QUE NÃO. Por isso, para não ter dúvidas respeita-se o edital! E isso não foi feito!

Quinto, quanto à enviar todos os protótipos finalistas para a exposição em São Paulo esse é algo que deve ser feito para amenizar tamanha desorganização [falo por mim]. Caso isso seja decidido, esse acordo deve ser oficializado no site.

Como você pode ver ao longo de todos os meus emails não estou usando qualquer argumento subjetivo. Sempre respaldo minhas afirmações no próprio edital que vocês realizaram. Não se trata de uma crítica mal fundamentada, mas sim de acusações altamente graves baseadas no ponto de vista legal e ético.

Afirmações estas que não foram justificadas no seu email.

Talvez por ser o primeiro concurso houve falhas graves e espero que isso seja reconhecido e corrigido em breve, revendo essa decisão.

Que isso sirva de exemplo, inclusive, para as próximas edições do concurso.

Após a evidente crítica que fiz a organização do concurso tenho poucas chances de ser contemplada com alguma vitória com o novo resultado, e esse não é o caso.

No entanto,  uma nova decisão seria justa e coerente.

Respeito imensamente as grandes referências (CASA CLAUDIA+SKITSCH) que realizaram esse evento e reconhecer erros não muda isso.

Muito pelo contrário demonstra humildade e sabedoria.

Todos os finalistas mereciam ganhar, inclusive os que ganharam. No entanto, se nem todos cumpriram o edital essa decisão muda completamente.

Att.,

*****

7. HOJE 5 DE ABRIL RECEBO UMA RESPOSTA E VEJO COMO A COORD. DO CONCURSO IGNORA OS CRIMES COMETIDOS. 


Cara *****

mais uma vez muito obrigado pelo envolvimento com o Prêmio e comentários para melhorar as próximas edições

sim sabemos que temos que melhorar e acompanhar mais de perto as novas ferramentas de comunicação que os jovens designers estão utilizando

estamos numa etapa de transição

Com respeito a mostra de projeto em São Paulo, ja estamos revendo isto e como podemos melhorar esta opção

estamos avaliando varias possibilidades e situações que abrem espaço para ter realmente uma mostra de produtos e nao so projetos como nos tinhamos pensado

porem isto ainda nao esta fechado e voce é a primeira selecionada que esta sabendo isto.

Com a proposta finalizada vamos entrar em contato novamente com voces e consultar se isto é interessante e possível para cada um

Isto nao apaga os nosso erros, porem reconhecer e melhorar forma parte do nosso aprendizado

Muito obrigado pela sua atenção

um beijo

christian

______________________________________________

NÃO TENHO RECURSOS PARA ENTRAR NA JUSTIÇA.

CONTO SOMENTE COM A FORÇA DA IMPRENSA PARA RESOLVER ESTE CASO!

OBRIGADA!

Anexos:

1.

Identificação de uma empresa de design no site da mesma

2.

Logo incluído em uma das pranchas enviadas ao concurso pelo projeto vencedor


Responses

  1. não precisa ter recursos pra entrar na Justiça! Vai lá mulher!

  2. Todos precisam saber disso!É triste ver como um produto sem qualquer representatividade ganha um concurso desse porte. O pior é ver a falta de caráter desses profissionais!
    Vou divulgar!

  3. Um absurdo!
    O resultado tem que ser alterado!
    Os finalistas não podem deixar isso passar!

  4. mas você teve acesso as prancha? se era online, como você sabe que foi enviado com logo e mais de 3? Não estou defendendo ninguem, so tentanto entender…

    • Desculpa, vi no site as pranchas a mais, e o logo da agencia.. realmente, não é justo… regra é regra e tem de ser respeitado… realmente, uma fraude

  5. Quero ver o coord.Christian Ullmann debochar perante o Ministério Público!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: