Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 21/09/2011

Isso é globalização: sons do mundo todo no Playing for Change

Já tinha ouvido falar no projeto e, tenho quase certeza, vi algum vídeo no Raízes, meu bar preferido em Brasília e reduto cultural da turma que gosta de um som de qualidade e libertário.

Mas foi bem por acaso, procurando um filme (“Círculo de fogo”, história de um sniper soviético na Batalha de Stalingrado, vivido pelo Jude Law em ótima interpretação) em uma megastore, que ouvi uma versão diferente de “Redemption song”, do Rei Bob Marley, e finalmente conheci o projeto Playing for Change.

A proposta é tão simples quanto genial: reunir músicos de todos os cantos do mundo, com os instrumentos mais diferentes e “exóticos” possíveis, alguns famosos, muitos artistas de rua, vários anônimos, tocando clássicos do reggae, do rock, do blues e do pop, além de algumas canções nem tão conhecidas, mas igualmente lindas.

O resultado mais visível do projeto é algo de encher os olhos (de lágrimas, inclusive): belíssimos vídeos que não apenas encantam e alegram a alma, mas nos oferecem uma pequena amostra do que poderia ser um mundo verdadeiramente globalizado – onde não apenas moedas e mercadorias, mas, sobretudo, pessoas e experiências culturais transitem e dialoguem livremente, sem fronteiras.

Do Pelourinho em Salvador para a majestosa Havana, de Nova Iorque ou Nova Orleans – com o carismático e sensacional Grandpa “Vovô” Elliott cantando e tocando sua gaita mágica às margens do Mississipi – para um quintal na África do Sul ou em Israel, e então para Livorno (Itália) ou para algum lugar no interior da Espanha. Das favelas ou praias cariocas para os lindos parques no interior da Argentina, da tropicaliente Jamaica para Tóquio ou Paris ou Toulouse. Da minha tão querida e saudosa Santiago de Cuba para a Cartagena das Índias ou Bogotá. De Katmandu no Nepal a Barcelona ou a Dublin, na Irlanda, passando pela Índia, e para tantos outros países e cidades.

Uma viagem musical e visual fantástica que transforma em dançarino até o dono do mais seco dos corações.

Granpa Elliott e o Mississipi: magia em forma de música

Viva Milton Santos!*

E três vivas aos idealizadores e realizadores do PFC, que também possui várias escolas de música para crianças ao redor do mundo.

Vale muito a pena comprar os dois volumes (cada um com CD e DVD) musicais do projeto.

No site também estão todos os vídeos e mais detalhes sobre o projeto:

http://playingforchange.com

Curta alguns dos meus vídeos preferidos (embora seja difícil dizer que há um vídeo não preferido).

Atualização (17h30): Como bem lembrou a Mariana Raphael, Stand by Me é um dos mais lindos vídeos do projeto. Não poderia ficar de fora dessa lista. E o cantor principal do vídeo canção, Roger Ridley, teve muita inspiração para dizer na introdução: “Não importa quem você é. Não importa aonde você vai na sua vida. Em algum momento, você vai precisar alguém para ficar ao seu lado”. Assista e delicie-se.

Stand by Me

Sittin’ On The Dock Of The Bay

Higher Ground

Satchita (com Sandra de Sá e outros brasileiros)

War (No More Trouble) – com Bono Vox (U2)

Groove in G

Imagine

Chanda Mama

O canal do PFC no Youtube traz, além dos “clipes” musicais, vários trechos de bastidores e/ou de ritmos específicos em diferentes países. Não deixe de passear pelo canal: http://www.youtube.com/PlayingForChange

*Milton Santos, geógrafo brasileiro, falecido em 2001, foi um dos principais pensadores sobre a ideia de globalização. Crítico ferrenho do conceito dominante, que advoga a livre circulação de mercadorias e capital, Milton Santos se dedicou também a imaginar e a propor o que seria uma globalização verdadeira, autêntica.

PS: O PFC também está nas redes sociais: Facebook ¦ Flickr ¦ Twitter

Sinamuva, magnífico coral de Umlazi, África do Sul, que canta em zulu

Sierra Leone Refugee All Stars: banda formada num campo de refugiados

O AfroReggae também participa do Playing for Change

Roberto Luti, da esquerdista Livorno, na Itália

Cicinho de Assis no Pelô

Roger Ridley, bluseiro de alma forte das ruas de Santa Monica, Califórnia, EUA

Rajhesh Vaidhya é um dos vários representantes da milenar cultura indiana no PFC

Hiromitsu Agatsuma, do Japão para o mundo tocando seu shamisen

Anúncios

Responses

  1. Peço a Deus que os homens encontrem os seus passos perdidos…e que o amor transborde e vivamos em paz

  2. […] alguns bons registros do projeto, do qual já falei mais detidamente aqui no blog. Banda do Playing for Change (Foto: Flickr […]

  3. […] que falar dos vídeos sensacionais do projeto? Veja no site oficial ou nos posts que já publiquei (aqui e aqui) no […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: