Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 06/09/2011

Bahêa broca Flamengo em pleno Engenhão e evita infarto do seu Edu

Há 54 carnavais vivendo na terra de Cartola, o bom baiano Eduardo, 72 anos, adotou o Botafogo como time local.

Em que pese a forte perseverança que marca todo torcedor do clube da Estrela Solitária, como a poligamia é permitida no futebol, o Esporte Clube Bahia continuou sendo o grande latifundiário no peito do seu Edu.

Frequentador assíduo do saudoso Mário Filho, seu Edu saiu de casa na tarde daquele domingo – sem avisar o destino à família – para o Estádio Olímpico João Havelange, onde foi acompanhar de perto a sua grande paixão futebolística brigar para encerrar o jejum de 14 anos sem vencer o Flamengo no Rio de Janeiro.

A refrega mal passava das vinte voltas no cronômetro quando o Bahêa tirou o zero do placar eletrônico do Engenhão.

Seu Edu, sorridente, alerta:

– Tomara que eu não enfarte hoje. No último Botafogo e Vasco não teve jeito. Hoje então, vendo o meu time de coração… não quero nem pensar.

Assustados ao redor dele, olhamos para aquele senhor com jeito de vovô brincalhão e passamos a “monitorá-lo” durante o resto da partida.

A tensão do rápido empate rubro-negro me fez lembrar a ele, já com a expressão meio contrariada:

– Calma, seu Edu, é apenas um jogo de futebol.

Ele sorriu e respondeu, sempre sorrindo:

– Tranquilo, po’deixá.

Lá pelas tantas, já perto do fim da peleja, ele revela:

– No jogo que tive o enfarto, fui com o meu filho. Hoje ninguém sabe que estou aqui.

Sorte para o seu Edu que os jogadores do Bahêa brocaram o Flamengo como quem degusta um acarajé da Cira numa tarde faceira de sábado.

Destaque para o LÉPIDO Dodô, lateral-esquerdo que substitui o ídolo Ávine e deve ter se inspirado em Dorival Caymmi para se impor no duelo contra Léo Moura: “Passo a passo, passando, eu passo!”, diria o saudoso baiano.

Teria o Flamengo sentido as consequências neuropsicológicas do trauma FLATULÍSTICO do professor Luxemburgo? Problema para um gastroenterologista resolver.

Quanto ao Bahêa, que venha logo Papai Joel e espante de vez o risco de um Ba-Vi(ce) na Série B em 2012. Na Série A, não será…

O coração do seu Edu e os milhões de tricolores da boa terra – originais e agregados, como este escriba, filho de baiano – agradecerão.

Texto e fotos: Rogério Tomaz Jr.

clique nas imagens para ampliar

Seu Edu, 72 anos de paixão pelo Bahêa

Primeiro gol do Bahêa: Tite corre e Reinaldo já comemora

Primeiro gol do Bahêa: torcedor agradece aos céus, no centro da imagem

Gol do Flamengo: mera ilusão

Dodô tira de Felipe e faz o segundo do Bahêa

Dodô (27) fez o experiente Léo Moura sofrer

Souza faz o terceiro e cala de vez a já murcha torcida rubro-negra

O melhor do Flamengo: a bandeira da Jovem com o rosto de Che

Anúncios

Responses

  1. Bravissimo sr Edu Parabéns !!!… e aquele q agradece a deus é massaroca … bjs

  2. agradeço vc pela preocupação no jogo fico muito grato pelas palavras escolhidas em seu comentario futebolistico.
    agradecido de bom grado seu EDU


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: