Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 30/05/2010

Vídeo da confusão no basquete: jogadores do Flamengo e torcida do Brasília brigam após jogo

Dia lindo e e ensolarado, como o céu de Brasília tão bem costuma oferecer aos habitantes do cerrado.

Grande partida...

Em quadra, duas grandes equipes. Nas arquibancadas e cadeiras, duas torcidas muito animadas. Todos os elementos para um perfeito espetáculo esportivo, digno de uma final de campeonato de um país bicampeão mundial na modalidade.

Após o encerramento do duelo, o amadorismo mostrou que ainda domina o nosso basquete.

A organização – amadora – da partida, corresponsabilidade do clube local (Universo Brasília) e da Liga Nacional de Basquete (LNB), não cogitou uma possível invasão de quadra ao final e, com isso, eventuais confusões.

decidida nos momentos finais...

Os jogadores do Flamengo* – profissionais no salário e na qualidade técnica, amadores no espírito para lidar com situações como esta – responderam agressões e provocações de torcedores comuns na forma de mais agressões. Atos injustificáveis sob qualquer ponto de vista.

O resutado do amadorismo generalizado está nas imagens abaixo.

A quadra lotada de pessoas que não poderiam estar ali. Muitas, certamente, sob efeito do álcool.

Polícia insuficiente, atrasada e despreparada. Agrediu tanto torcedores quanto jogadores do Flamengo. Nenhuma surpresa quanto a isso. A Polícia do DF é assim mesmo: formada por gorilas de farda, do comando à base (clique aqui para conhecer o “preparo” de um coronel da PM-DF).

estragada pela incompetência da organização e amadorismo generalizado.

Jogadores que já passaram pela seleção brasileira, como os talentosos alas Dedé e Jeférson (pré-convocado para a seleção brasileira que vai disputar o Mundial da Turquia, em agosto), perseguindo e agredindo torcedores.

Na NBA, a liga de basquete dos EUA, atitudes como esta acarretam multas pesadíssimas aos clubes e suspensão de atletas por vários meses ou até por uma temporada inteira.

Aqui, ninguém vai ser punido. Mas torço – muito! – para que os fatos mostrem que estou errado. Adorarei queimar a língua nesse caso.

Apesar de ter presenciado uma partida sensacional do esporte pelo qual sou apaixonado e joguei durante 13 anos, saí muito triste do ginário Nílson Nélson.

Ainda temos que evoluir muito.

A propósito, o Brasília venceu por 85×84 e está em vantagem (2×1) na série melhor de cinco. A próxima partida será no Rio de Janeiro, na quinta (3/6), às 16h, com transmissão do canal pago SporTV.

*Hoje os protagonistas do episódio lamentável foram os jogadores do Flamengo. Porém, infelizmente, isso é algo bastante comum no basquete brasileiro e poderia ter acontecido com qualquer clube. Claro, sempre vão alegar que faltou segurança e que apenas revidaras as agressões… e assim seguimos, nem sempre em frente…

Assista ao vídeo que registrei. Fiquei chocado com o Dedé tentando arremessar uma estrutura metálica sobre a torcida.

PS: Para reflexão: o salário de uma estrela do futebol, como Ronaldo, Adriano ou Fred, paga o salário de uma equipe inteira de ponta como o Brasília ou o Flamengo – que ganhou o NBB-2009 com três meses de salários atrasados, vale mencionar.

Fotos: Rogério Tomaz Jr.

Anúncios

Responses

  1. Absurdo!!!! Eu vi o finalzinho dessa baixaria na hora do almoço…Absurdo total!!!!!

  2. Queria ver se vc, ao terminar de escrever seu artigo, fosse agredido na sua cadeira de trabalho, ofendido dentro do seu espaço. Vc ia reagir normalmente?

    • Paulo, com isso você quer justificar a atitude dos jogadores do Flamengo (ou de quem quer que seja)? Se é isso, lamento, mas discordamos. E, sim, como jornalista que cobre política, inclusive manifestações públicas, já fui agredido diversas vezes por policiais. Fiquei revoltado e indignado, mas isso não me fez deixar de raciocinar e passar a agir com a imbecilidade dos meus agressores. Lamento, se os jogadores do Flamengo (ou de qualquer outro clube do basquete brasileiro que tenha passado por isso) ainda não alcançaram um grau de maturidade e equilíbrio emocional que lhes permita superar esse tipo de situação – absurda e injustificável, por parte da torcida e, ainda mais, da orgabinização – que, vez por outra, ocorre nos nossos ginásios, não é problema meu. Como jornalista e como apaixonado pelo esporte, vou criticar e cobrar mudanças em todos os aspectos. Inclusive na atitude dos atletas.

      • PS: O Paulo, que escreveu o comentário acima, registrou-se com o email “paulo@hotmail.com”. Esse email não existe. Infelizmente, o amadorismo também faz as pessoas temerem assumir suas identidades verdadeiras num espaço de debate público como esse. É muito mais cômodo usar identidades falsas a assumir e defender suas posições.

  3. infelizmente uma cena de baixaria total num esporte que precisa de reestruturação. Fico irresignado com atitute de jogadores amadores do flamengo, que comprovaram isto no pós jogo, haja vista não possuirem equilibrio. Queria ver se fosse na argentina se eles fariam isto, duvido, até porque os jogadores morrem de medo dos argentinos

  4. As pessoas que trabalham com basquete em Brasília já alertavam há muito tempo a respeito da necessidade de maior segurança para os jogos.

    No estádio da CEB (onde se realizam muitos jogos em Brasília), o banco dos jogadores fica a um braço de distância da plateia e, infelizmente, os alertas no Brasil somente são lembrados depois de tragédias.

    Em Londrina-PR, interditaram o Moringão porque o piso era de madeira e morreu um jogador de futebol porque um pedaço se soltou.
    Em razão disso, na hora de realizar uma partida em um estádio menor, cercaram o estádio de seguranças de ponta a ponta.

    Todos que atuam na área estão cientes dos perigos, mas sempre se vai deixando, sob preguiça ou conveniência.

    Quanto ao comentário do Paulo, eu tenho a seguinte observação – jamais se pode comparar um torcedor com um profissional. Profissional, como o nome diz, tem que agir e ser cobrado como profissional. Sempre que atuo profissionalmente, mesmo diante das maiores barbaridades, me cobro para agir de maneira profissional. É o que se cobra dos médicos que atuam em cirurgias perigosas, dos advogados que defendem o patrimônio e a liberdade alheia, muitas vezes em órgãos que atuam de forma ilegal, dos jornalistas que cobrem tragédias. Não vejo porque não cobrar profissionalismo dos atletas, uma profissão com menos inserção acadêmica, mas com a mesma respeitabilidade de todas as demais.

  5. Total absurdo, mostrando a falta de educação da população que não sabe conviver em harmonia com os outros, parecem que são inimigos e não adversários, parecem que vão para a quadra com a intenção de agredir, de matar e assim vamos seidar a copa. Já pensou o Brasil perdendo um jogo da Copa de 2014, como avi ser? E o nosso basquete continua amador como sempre…………………

  6. É lamentável como não se pode contrariar o time e a torcida do Flamengo!!!

    Há tempos deixei de ir ao ginásio torcer pelo time do Universo quando os jogos são contra o Flamengo. A torcida deste último é muito mais agressiva e intimida até a polícia, que deveria se impor.

    Porém ver pela TV no Sport TV também não tem sido uma experiência agradável, uma vez que a equipe da emissora torce descaradamente pelo Flamengo, deixando os expectadores, torcedores de outros times, incomodados.

    O que houve no Nilson Nelson foi um episódio triste. Mas o jogador Wagner procurou ser atingido. Nos vídeos da Tv pode-se observar bem a hora que o Duda segura ele pedindo que saia de quadra, antes de ser atingido, e ele volta correndo pra agredir o torcedor. E mais tarde, quando os jogadores do Flamengo tiveram que ser contidos pela polícia para não voltar à quadra.

    Se o Flamengo tivesse ganho não precisaria desta manobra pra tirar o mando de quadra do Universo.

    Bem, acho que o NBB pode acabar… É só dar o título ao Flamengo e eles serem felizes para sempre! Ou, rever a postura da equipe para que possamos ter um campeonato com um nível mais alto.

  7. Absurdo total !!! O erro começou da organização da partida em deixar a torcida invadir a quadra. Um jogo do porte de Flamengo e Brasilia, deveria ter policiamento reforçado, em virtude até da rivalidade entre as duas equipes nos ultimos anos. Os torcedores do Brasilia se comportaram como verdadeiros baderneiros.

    • Carlos, o mais absurdo agora são as declarações – de ambos os lados – querendo justificar como “natural” a invasão. De fato, isso ocorre em todo ginásio no Brasil (e não apenas no basquete), inclusive já aconteceu com a torcida do Flamengo no Rio, mas parece que vai ser preciso acontecer uma tragédia para que as autoridades (e os clubes) tomem alguma decisão séria. Lugar de torcedor é na arquibancada, nunca dentro da quadra. E o policiamento, existia em quantidade adequada, mas eles não tiveram a capacidade (!!!) de prever a possível invasão de quadra e, com isso, eventuais confusões! Amadorismo, incompetência e irresponsabilidade generalizada.

  8. Agora a invasão da torcida do Universo foi uma “manobra do Flamengo para tirar o mando de quadra do Universo”. Fala sério, dona Andrea. Pois saiba a senhora que ano passado, em um desses jogos realizados no Ginásio Nilson Nelson, minha filha de 12 anos foi agredida por um desses “torcedores” do Universo apenas porque vestia a camisa do Flamengo. Eu eu não pude nem defendê-la, porque estava tentando proteger meu caçula, de quatro anos de idade e também com camisa do Flamengo, que estava no meu colo.
    Talvez a senhora seja daquelas pessoas carregadas de amargo preconceito e ódio de classe que não perdem a oportunidade de dizer que na torcida do Flamengo só tem “favelado”.
    Pois se a senhora não vai mais ao Nilson Nelson porque “É lamentável como não se pode contrariar o time e a torcida do Flamengo!!!”, eu digo o mesmo desses desordeiros do Universo.
    A reação dos jogadores do Flamengo é injustificável, pelos motivos expostos pelo blogueiro e alguns comentaristas. Mas é preciso ressaltar que eles já estavam de cabeça quente por causa das inversões marcadas pelo “árbitro” Pacheco, notadamente no terceiro quarto. Inversões que o próprio comentarista do Sportv observou. Ah, mas o Sportv não vale, porque eles “torcem descaradamente” pelo Flamengo…
    Fala sério, Dona Andrea.
    Agora eu pergunto: alguma vez algum adversário foi agredido pela torcida do Flamengo na Arena da Barra ou houve algum tipo de invasão inamistosa no local? Já na Argentina, senhor “jaquescundera”, já vi até cuspirem na cara do Marcelinho em uma final de Sul-Americano. Cuspiram e correram, como o fazem os covardes.
    Infelizmente, temos em Brasília uma parte considerável da juventude despreparada para eventos de grande porte, e são inúmeros os exemplos dessa falta de civilidade, que é algo que se traz da formação familiar.
    Falo de camarote, pois embora seja carioca, vivo aqui desde a adolescência, e cansei de ver atos de pura estupidez dessa juventude de classe média do Plano Piloto. Fui inclusive vítima de alguns. Não revidei porque não é do meu feitio, mas todo mundo tem o seu limite. O dos jogadores do Flamengo foi aquele absurdo ocorrido no domingo.
    Duvido que isso ocorra quinta-feira na Arena da Barra, mesmo que o time e a torcida do Flamengo sejam “contrariados” – o que duvido que ocorra, aliás.
    Saudações, Rogério, seu blog é muito bom!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: