Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 30/03/2010

Vitória histórica no caminho para a definitiva derrota da oligarquia Sarney

Dois votos. Número menor do que o das três abstenções.

Por essa margem, o PT do Maranhão escolheu marchar junto com o PCdoB de Flávio Dino rumo ao Palácio dos Leões em outubro de 2010.

Ainda que o triunfo no encontro de sábado (27/3) tenha sido tão “sofrido”, muito mais dura será a batalha eleitoral e política cujo terreno agora começa, de fato, a apresentar seus contornos reais.

A rigor, porém, já é desalentador por si só o PT do Maranhão ter esse tipo de debate em pauta. Mais ainda o fato de que praticamente metade dos delegados do encontro defendeu a aliança com o E$quema $arney. Mas o pior foi ver alguns de seus mais destacados quadros políticos e líderes defendendo essa aliança como “o melhor para o partido”. Sem mais comentários.

Foi uma decisão histórica que poderá ter, inclusive, reflexos na organização das forças internas do PT-MA.

Espero que aqueles equivocados de 2008 – que se recusaram a participar da campanha de Flávio Dino à prefeitura de São Luís e até contribuíram com a onda que tentou acusá-lo de sarneísta – tenham reavaliado seus conceitos e aprendido a lição de que é preciso coragem e determinação para se colocar à altura dos grandes desafios.

Luta contra a oligarquia – A partir de agora, os aliados da candidatura Flávio Dino enfrentarão o poder econômico, o poder da máquina pública do Estado – misto de poder econômico e político – e as nefastas práticas políticas de uma oligarquia que tem como marca mais intensa não a propensão à improbidade, mas o cinismo, como se viu nas notas públicas de Roseana Sarney e do seu cunhado, Ricardo Murad (ambas podem ser acessadas no blog do Colunão, do Walter Rodrigues em 28/03):

Quero agradecer, sensibilizada, a todos que votaram pela nossa aliança. Eles estiveram ao lado do Maranhão, do Brasil e dos objetivos do presidente Lula (Roseana Sarney)

Só temos a lamentar a decisão. Esperávamos uma postura firme do PT pela coligação com o PMDB no Maranhão. Era o nosso desejo e o do presidente Lula e da ministra Dilma. (…) Fizemos a nossa parte. Temos um compromisso com o Maranhão e com o Brasil. Vamos continuar fazendo o governo que fez o Maranhão voltar ao trabalho e que governa para cuidar bem das pessoas. A governadora Roseana faz um governo revolucionário que a credencia para um novo mandato. (Ricardo Murad)

Para quem não é do Maranhão e desconhece as peças, Ricardo Murad é irmão de Jorge Murad, esposo de Roseana. Ricardo passou alguns anos brigado com o E$quema e costumava se referir à atual governadora com a alcunha da profissão mais antiga do mundo. Nas eleições de 2002*, pouco antes de voltar aos braço$ da família, Ricardo declarou o seguinte (o áudio pode ser ouvido nesse link):

“Votar em Roseana Sarney é votar para manter a família no poder, é votar para manter os privilégios, as mordomias, as facilidades de um pequeno grupo de privilegiados que se colocam acima dos interesses do estado, acima do governo e dos governadores e que se utilizam sem dó e nem piedade de tudo e de todos”

“A candidata Roseana Sarney é uma farsa, uma criação sem consistência, uma mentira. Não sabe e não entende absolutamente nada, ela representa apenas os interesses econômicos de sua família, que vivem á sombra dos governos se aproveitando de maneira vergonhosa do povo maranhense. Não vote em branco, não vote nulo, vote em Jackson, mas vote”.

Depois da reconciliação familiar, logo após as eleições de 2002, Ricardo Murad passou a ser um dos nomes mais fortes do E$quema $arney. E esse é o o sujeito que também se considera porta-voz do governo Lula e da candidatura Dilma no Maranhão.

Expressão de Roseana logo após saber da decisão do PT?

Roseana foi derrotada nas urnas em 2006 por Jackson Lago, apoiado por forças da esquerda e da direita política. Agora, foi derrotada pela esquerda petista autêntica.

A disputa será duríssima, não há dúvidas.

Mas, assim como na decisão do PT-MA de apoiar Flávio Dino, tenho firme convicção de que, em outubro, “A Branca” será derrotada por um bloco amplo de forças que – embora ainda tenha entre seus integrantes algumas figuras da direita e ex-expoentes da oligarquia Sarney – será comandado, de fato e de direito, pela esquerda maranhense.

A partir de janeiro de 2011, o Maranhão provará o tipo de gestão que o Brasil vem provando e aprovando desde 2003.

Governadora, prepare o lenço para enxugar as lágrimas.

*****

*Nas eleições de 2002, Ricardo Murad foi o candidato do PSB ao governo do estado. Obteve cerca de 150 mil votos, mas teve sua candidatura impugnada pelo fato de ser cunhado da governadora. Pouco antes, Roseana e Jorge Murad haviam se desquitado, mas casaram-se novamente para inviabilizar a candidatura do adversário que logo depois voltaria ao seio da família. Por decisão judicial, seus votos foram considerados nulos e José Reinaldo Tavares (PFL) foi declarado eleito no primeiro turno, já que a soma dos votos dos demais candidatos (Jackson Lago/PDT, Monteiro/PT e Marcos Silva/PSTU) foi menor do que o total dos votos dados ao então pefelista, que romperia com o E$quema $arney dois anos depois.

PS: Nunca é demais relembrar a trajetória de Luizianne Lins, prefeita de Fortaleza(CE), resumida no post abaixo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: