Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 04/12/2009

Folha de SP censura blog

A Folha de São Paulo – ou FAlha de São Paulo ou ainda Força Serra Presidente – está seguindo há tempos uma caminhada sob dois trilhos inglórios: a cada dia perde leitores e, pior, perde credibilidade.

Ditabranda, ficha falsa da Dilma, ofensas aos professores Fábio Konder Comparato e Maria Victória Benevides, “epidemia” da febre amarela, gripe suína que atingiria 67 milhões de brasileiros, artigo acusando Lula de ter tentado estuprar um colega de cela, entre tantas outras vilanias…

Agora o jornal dos Frias inaugura mais uma modalidade de fazer política: usa advogados para ameaçar e censurar blogs.

Veja o que aconteceu com um blog que faz campanha em prol do cancelamento da assinatura do UOL ou da Folha:

http://www.arlesophia.com.br

(clique para ampliar)

Pois o Conexão Brasília Maranhão vai aderir neste momento a esse movimento, do qual já fazem parte o Eduardo Guimarães, o Rodrigo Vianna, o Azenha, o Mello e tantos outros.

Cancele sua assinatura da Folha de São Paulo ou do UOL!

Você terá muito a ganhar, não tenha dúvidas!

Em tempo: em comentário já publicado, o amigo e grande referência política e jornalística Walter Rodrigues (www.walter-rodrigues.jor.br) – certamente um dos jornalistas mais censurados (via judicial, inclusive) do Brasil – considera que o episódio não configura censura da Folha. Eu discordo. Se o Antonio Arles escrevesse um texto elogioso à Folha de SP e colocasse a marca do jornal, jamais seria ameaçado de ação judicial. A Folha usou um método sutil, mas igualmente eficaz no alcance do objetivo, para violar a liberdade de expressão de um cidadão que lhe fez oposição. Isso me lembra o que a galera das artes visuais faz com as grandes marcas – https://www.adbusters.org/gallery/spoofads

A propósito, vale ler o que o Antonio Arles escreveu no seu Twitter:

http://twitter.com/aarles/status/6353374196
Em primeiro lugar: Obrigado a todos(as) pelas mensagens de solidariedade. Não conseguirei responder individualmente…

http://twitter.com/aarles/status/6353394201
A notificação foi extrajudicial, com timbre do escritório de advocacia e assinada por uma advogada…

http://twitter.com/aarles/status/6353416366
A tentativa de intimidação se deve ao fato de que o que preocupa eles realmente é o bolso…

http://twitter.com/aarles/status/6353446129
Não adianta os grupos políticos que eles apoiam encher os cofres desta turma de dinheiro, sem que eles tenham quem os leia…

http://twitter.com/aarles/status/6353474229
Isso também revela que é cada vez mais importante lutar pela liberdade na Internet…

http://twitter.com/aarles/status/6353493873
Mais uma vez, muito obrigado por todas as manifestações de apoio. Abraços

http://twitter.com/aarles/status/6353549791
isso, foi extrajudicial. Não vou me intimidar não. Por outro lado, não posso correr o risco de ser processado criminalmente

Anúncios

Responses

  1. Meu caro Rogério, não podemos endossar faltas semelhantes às da Folha apenas pq são “do nosso lado”. O nosso lado, por mais engajado que seja ou possa ser, não deve conviver com a mentira e a distorção. Lembre-se que o fim (alcançado) justifica os meios, sim, mas os meios definem os fins.

    A Folha NÃO censurou o blogue. Nem mesmo entrou ou ameaçou entrar com ação contra o conteúdo do blogue. Exigiu, como é de seu direito, sob pena de processo, a retirada dos selos que, no entendimento do jornal, configuram uso indevido (e ilegal) de marca alheia.
    A campanha pode continuar à vontade. A democracia sobrevive incólume a esse episódio.

    • WR, o conceito de censura não se resume ao ato de um censor dentro da redação vetando a publicação de textos. A FSP usou uma tática sutil para conseguir o que pretendia: vetar a liberdade de expressão (no caso, se utilizando de uma marca que, embora privada, é amplamente conhecida pelo público) de alguém que lhe fazia oposição. Ou você acredita que se o Antonio Arles teria sido censurado se publicasse um texto elogioso à Folha e colocasse a marca do jornal junto? Eu mantenho: o que houve foi censura, obtida por método sutil, mas tão eficaz quanto uma ordem judicial semelhante às que você combate recorrentemente.
      Abrs,
      Rogério

  2. Se a Folha pode utilizar fotos ou qualquer tipo de imagem nos seus veículos de quem não permitiu o uso, porque não posso utilizar a marca da Folha para falar dela?

    Liberdade de expressão já!

    Aguardo ansiosamente argumentação.

    Yusseff Abrahim
    Jornalista


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: