Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 18/11/2009

Não existe racismo no Brasil

Essa vai especialmente para o todo poderoso da Rede Globo, Ali Kamel, autor do livro “Não somos racistas” – que, graças ao privilégio do seu autor de ser quem é, teve a capa exibida em close generoso em novela das oito na emissora dos Marinho (ver imagem abaixo).

A galera do Núcleo Audiovisual do Circo Voador discorda do Ali Kamel. E foi às ruas para tirar a prova. É o Manifesto Porta na Cara – bem que poderia ser na cara do Lord Ratzinger, como Kamel é conhecido entre os colegas da Globo.

Assista aos dois vídeos, bem curtos e diretos. E assine o Manifesto pela mudança desse sistema bancário racista.

A cena da novela:

Gislaine lê a obra de Ali Kamel - merchandising ideológico

Trechos de um texto do Eduardo Guimarães:

Não se tem notícia de outra novela da Globo como Duas Caras. A novela inteira tornou-se um pretexto para veicular, através de uma concessão pública, as idiossincrasias político-ideológicas da família Marinho, dona da Globo.

[…]

A trama de Duas caras apóia-se majoritariamente na venda ao público de uma fantasiosa integração entre negros pobres e brancos ricos que não existe em lugar nenhum deste país, muito menos no Rio, onde se tem uma elite que pode ser qualificada como uma das piores do país, talvez até mais do que a de São Paulo. No entanto, a novela mostra socialites cariocas freqüentando uma favela, casando-se com favelados negros e até defendendo-lhes os direitos. Os racistas brancos e ricos da trama restringem-se ao advogado Barreto (Stênio Garcia), que, aos poucos, também ele vai deixando de ser racista.

Essa é, sem tirar nem pôr, a teoria do livro do diretor de jornalismo da Globo, Ali Kamel, em seu livro “Não Somos Racistas”, que, inclusive, foi mostrado num dos capítulos da novela sendo lido pela ex-BBB Juliana Alves, que faz a personagem Gislaine, irmã de Evilázio Caó (Lázaro Ramos); é uma favelada que se opõe frontalmente a políticas como cotas para negros e defende outras teorias sobre racismo ao gosto de Ali Kamel e dos Marinho.”

Vale muito a pena ler o texto na íntegra. Clique aqui e procure o título “Chega… de Duas Caras”.
Em tempo, descobri o vídeo pelo Abundacanalha.

Responses

  1. Puis é… Outra campanha contrabandeada pela novela é a que vai contra a redução da pena por bom comportamento. Tá explícita nas falas diante do ex-presidiário que aterroriza essa mesma família, tipo “Os bandidos ficam soltos e a gente não pode fazer nada?”

  2. Amigo,

    Não podemos adimitir priviégios para uns e outros não. não deve haver cotas, para brancos, negros, indios ou amarelos. Deve haver sim uma igualdade social, para isso deve-se estabelecer uma politica que abrange mais o social. Ou vc esquece que existem brancos pobres e neggros ricos ?

  3. […] https://brasiliamaranhao.wordpress.com/2009/11/18/nao-existe-racismo-no-brasil/ […]

  4. […] sempre enfatizar: o “jornalismo” da Globo hoje é comandado por um sujeito que escreveu um livro defendendo a tese, em essência, de que não existe racismo no Brasil. Alguém consegue levar a sério uma empresa como […]

  5. […] sempre enfatizar: o “jornalismo” da Globo hoje é comandado por um sujeito queescreveu um livro defendendo a tese, em essência, de que não existe racismo no Brasil. Alguém consegue levar a sério uma empresa como […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: