Publicado por: Rogério Tomaz Jr. | 05/08/2009

Maranhão e Pernambuco comandam festa na Chapada dos Veadeiros

Representantes do Maranhão e de Pernambuco – estados cuja cultura popular tem profundas e ricas raízes negras – comandaram a última noite do IX Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.

O festival foi realizado na pequena e bucólica Vila de São Jorge, no município de Alto Paraíso de Goiás, a cerca de 250 Km ao norte de Brasília(DF), entre os dias 24 de julho e 1º de agosto. Artistas e grupos convidados de vários estados e até do Senegal (Mamour Ba) tornaram a pequena São Jorge, durante a semana do evento, a capital brasileira da cultura popular.

Congo, catira, folia do Divino, sussa, curraleira, bumba-meu-boi do Maranhão, maracatus de baque virado e de baque solto (rural), violeiros, pífanos, percussionistas, capoeira, circo, entre muitas outras manifestações que formam o imenso mosaico de cores, formas, ritmos e sons brasileiros, animaram as noites iluminadas por uma vistosa lua crescente.

Durante o dia, cachoeiras, trilhas, aventuras, oficinas, debates, feiras, exibições de vídeos, cortejos festivos nas ruas de São Jorge ou simplesmente o ócio (etílico-cultural ou não). Noites e madrugadas adentro, muita energia emanando das mais variadas músicas e danças ditas regionais – embora, inegavelmente, tenham a capacidade de agradar ouvidos e espíritos e ferver o sangue e os corações de quem presencia e se envolve, em qualquer lugar desse vasto mundo.

O ponto alto, na humilde visão deste escriba apaixonado pela cultura popular, foi justamente a última noite. Num sábado de lua crescente-querendo-ser-cheia, foram reunidos o bumba-meu-boi de Sâo José de Ribamar(MA), do sotaque (estilo) de matraca, o maracatu rural (ou de baque solto) Piaba de Ouro, o maracatu de baque virado Leão Coroado (146 anos de existência), o bloco Boca de Lixo, com instrumentos de material reciclado, e o sensacional grupo brasiliense Pé de Cerrado, que reúne vários ritmos e manifestações num balaio autenticamente nacional.

Vale destacar, ainda, na sexta (31/7), a emocionante homenagem ao grandioso Mestre Salustiano, expoente da arte pernambucana que nos deixou em 2008 para animar as festas em outros mundos. Os grupos Piaba de Ouro (fundado por Mestre Salu e com seu filho, Clayton, à frente do grupo hoje) e Leão Coroado, juntos com a divina Lia de Itamaracá, cantaram em versos a grandeza e a saudade deixada pelo Mestre*.

Abaixo alguns registros (amadores, deixo claro) em vídeo (outros ainda estão por vir). As fotos podem ser vistas no seguinte link: www.flickr.com/saojorge2009
:: Boi de Ribamar(MA)

:: Piaba de Ouro e Leão Coroado juntos (algo raro até mesmo em PE)

:: O batuque do Leão Coroado sob a lua de São Jorge (1)

:: O batuque do Leão Coroado sob a lua de São Jorge (2)

:: O batuque do Leão Coroado sob a lua de São Jorge (3)

:: Piaba de Ouro

:: Leão Coroado

:: Bloco Boca do Lixo

*Cheguei a ter uma breve conversa com Mestre Salu, durante um dos carnavais que passei no Recife. A idéia era entrevistá-lo para um projeto ainda na fase de gestação. Por isso e pela perda irreparável para a cultura brasileira, senti muito a sua passagem. E não consegui segurar a emoção durante as falas do seu filho Clayton, de Lia e de Mestre Afonso (Leão Coroado). Viva, Salu!

Anúncios

Responses

  1. Amazing – very stunning matter. I will blog about it likewise!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: